Quem não quer uma fórmula mágica para perder peso?
Qual é o remédio que emagrece?

Quem não quer uma fórmula mágica para perder peso, não é? Infelizmente, elas não existem. Tomar um remédio que emagrece é uma importante forma de eliminar os quilinhos a mais, contudo é um tratamento como outro qualquer. Isso significa que precisa de receita e indicação médica.

Dependendo do caso, o excesso de peso pode ser encarado como uma doença mesmo. Obesos ou obesos mórbidos costumam ter dificuldade de locomoção ou de executar tarefas diárias, por exemplo. Isso impede também a prática de atividade física. Logo, os remédios emagrecedores se tornam a opção mais viável para ajudar no emagrecimento.

Portanto se você quer saber mais sobre quem pode tomar medicamento para perder peso, confira os detalhes a seguir!

Quando tomar remédio para emagrecer

De acordo com a mais recente Pesquisa Nacional de Saúde, 20% da população brasileira é obesa ou está acima do peso. Esse número é alto e exige ações de prevenção e informação. Porque na maioria dos casos, apenas a conscientização já serve como ponto de partida para o emagrecimento. A questão é que nem todo mundo consegue perder peso apenas com esforço.

Existem casos de pessoas cujos metabolismos são muito lentos. Ou que já estão incapazes de queimar mais calorias. Ou estão com o diabetes descontrolado. Para esses indivíduos, pode ser essencial tomar remédio para conseguir iniciar o emagrecimento. Contudo a única pessoa que pode tomar essa decisão é o médico.

Quais os melhores remédios emagrecedores

Na verdade, não existe remédio que emagrece. O que existem são inibidores de apetite, por exemplo. Conheça os 5 mais receitados pelos médicos:

  • sibutramina — o mais famoso de todos, age reduzindo a fome e aumentando a queima de calorias. Indicado para quem tem Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30;
  • fluoxetina — também muito popular, diminui a ansiedade e controla a compulsão alimentar. É usado como aliado da perda de peso e de tratamentos de depressão;
  • liraglutida — liberado no Brasil há menos de 3 anos, tem o mesmo princípio que o Victoza, usado para tratar diabetes. Diminui a forme e a glicose.
  • orlislat — impede a absorção de gordura em até 30%, costuma ser usado junto com outros remédios emagrecedores;
  • bupropiona — antidepressivo, diminui a compulsão, mas costuma ser utilizado apenas por pacientes que também sofram com algum distúrbio psicológico.

Além destes, a anfepramona é também muito conhecida. No entanto, se trata de um remédio da classe de anfetaminas, sem liberação da Anvisa. Foram vendidos por aqui até 2011, mas como não tem comprovação científica, estão fora das prateleiras brasileiras. Agiam como inibidores de apetite.

Por que não tomar remédio por conta

Por mais que todo mundo queira uma facilitador da perda de peso, os remédios não significam essa facilidade. Algumas fórmulas são acompanhadas de efeitos colaterais bastante intensos. Irritabilidade, insônia e ansiedade podem surgir durante o tratamento. Além disso, remédio que emagrece não trata a causa do aumento de peso.

Portanto na maior parte dos casos, é essencial ter um acompanhamento psicológico. Mais do que eliminar os quilos na balança, é imprescindível compreender o que levou a engordar.

Comente esse Artigo