Saiba tudo sobre cirurgia bariátrica
Saiba tudo sobre cirurgia bariátrica. Foto: Portal T5

Você está muito acima do peso e deseja fazer uma cirurgia bariátrica? Você sabe se está dentro do grupo onde a cirurgia pode ser feita?

Descubra como funciona a cirurgia bariátrica e os seus requisitos aqui.

A cirurgia bariátrica é uma cirurgia realizada em pessoas que estão muito acima do peso.

Seu objetivo é fazer a pessoa emagrecer, trazendo assim mais saúde para a pessoa e até mesmo a cura de alguns problemas, como o colesterol alto ou diabetes.

Porém, não são todas as pessoas acima do peso que podem fazer a cirurgia bariátrica. Existe uma série de requisitos necessários para que isso aconteça, independente se for pelo SUS ou particular.

 

Quais os requisitos para fazer uma cirurgia bariátrica?

Primeiramente uma pessoa não pode apenas ter vontade de emagrecer e resolver fazer a cirurgia bariátrica.

A pessoa precisa primeiramente comprovar que já tentou por no mínimo 6 meses perder peso realizando exercícios físicos e dieta equilibrada fornecida por um nutricionista.

Se a pessoa não consegue mais perder peso fazendo esses dois quesitos pode pensar em se habilitar para a bariátrica, mas a pessoa também precisa passar por procedimentos clínicos, como remédios que tiram o apetite e coisas do tipo.

No entanto somente depois de passar por tudo isso que a pessoa pode procurar um médico para solicitar uma cirurgia bariátrica.

Além disso são necessários outros 3 pré-requisito para estar apto a optar em uma cirurgia bariátrica:

  • Ter mais de 16 anos;
  • Ter IMC superior a 40;
  • Ter o IMC entre 35 e 40 e, pelo menos, mais 2 problemas de saúde relacionados a obesidade.

Ou seja, essa cirurgia não é opção para pessoas que estejam apenas com sobrepeso e não pode ser realizada nem pelo SUS, nem Particular nesses casos.

Já as doenças relacionadas com a obesidade podem ser:

  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Pressão Alta;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Osteoartrose;
  • Apneia do sono.

Fazer a cirurgia bariátrica em pessoas com IMC inferior a 35 não é indicado devido aos riscos que o paciente corre durante a cirurgia e depois dela.

Mas o principal motivo é que nessas pessoas a cirurgia bariátrica não é efetiva, resultando em pouca ou até mesmo nenhuma perda de peso.

 

Como funciona a cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica, independente de qual procedimento é realizado, é normalmente a mesma. Se trata da redução parcial do estômago.

Ao todo são 4 tipos de cirurgias bariátricas realizadas no Brasil.

  1. Gastroplastia em Y;
  2. Gastrectomia vertical;
  3. Derivação Biliopancreática;
  4. Banda gástrica ajustável.

Abaixo falaremos de cada uma delas.

 

1. Gastroplastia em Y

Essa é uma das cirurgias bariátricas mais realizadas no Brasil. Corresponde a cerca de 75% das cirurgias realizadas.

O estômago é diminuindo em 10% e parte do alimento é redirecionado diretamente para a primeira parte dos intestinos, não passando assim pela digestão do estômago.

Dessa forma, hormônios que fazem a pessoa sentir fome são diminuídos, ao mesmo tempo que hormônios da saciedade são liberados em maior quantidade.

Assim a pessoa sente menos fome e se sente saciado comendo menos.

Doenças que tem associação com a obesidade tem melhoras significativas e rapidamente.

 

2. Gastrectomia vertical

Cerca de 15% dos procedimentos são utilizando essa técnica.

Nela o estômago é reduzido em até 85%, tornando ele uma espécie de tudo.

Essa cirurgia também diminui a fome e não traz riscos de faltar absorção de nutrientes importantes para o corpo, como o ferro e cálcio.

Nas raras ocasiões onde ele acaba não sendo efetivo no paciente ele pode ser revertido para uma das outras duas cirurgias descritas aqui no item 1 ou 3.

Porém a reversão completa dela, voltando o estômago para o seu formato ‘normal’ não é possível.

 

3. Derivação Biliopancreática

Corresponde a cerca de 5% das cirurgias.

Semelhante ao item 2, com a diferença que além dos 85% do estômago retirado é feito também um desvio no intestino.

Esse desvio faz com que o alimento siga por um caminho, enquanto que enzimas digestivas vão por outro caminho.

Assim alimentos e enzimas só se encontram nos últimos 100 centímetros do intestino e não em toda a sua extensão.

Dessa forma a absorção de calorias e também nutrientes é reduzida em muito.

A vantagem dela é que permite que a pessoa coma mais do que nos outros tipos de cirurgias.

No entanto a desvantagens é que é comum a necessidade de tomar suplementos para repor a dificuldade de absorção dos nutrientes.

 

4. Banda gástrica ajustável

Corresponde também a cerca de 5% das cirurgias.

É realizado a inserção de um dispositivo feito de silicone que é colocado no início do estômago.

Nesse dispositivo é inserido água destilada ou soro, obstruindo e diminuindo parte do estômago com isso e consequentemente a quantidade de alimentos ingeridos.

A vantagem dessa técnica é que ela é totalmente reversível, somente retirando a banda gástrica.

Ela também é ajustável. Dessa forma pode ser personalizada conforme a necessidade do paciente.

A desvantagem dela é que em muitos casos não ocorre perda significativa de peso e nem uma boa melhora de doenças preexistentes ocasionadas pela obesidade.

 

Considerações finais

Existe uma série de procedimentos antes de se realizar uma cirurgia bariátrica.

Entre elas estão fazer uma série de exames, que variam de acordo com o paciente e também consultar uma série de médicos.

 

Exames normalmente pedidos:

  • Endoscopia digestiva;
  • Radiografia de Tórax;
  • Ultrassom abdominal;
  • Prova de função pulmonar;
  • Exames de sangue;
  • Polissonografia.

 

Consulta aos seguintes médicos:

  • Nutricionista;
  • Cardiologista;
  • Psiquiatra;
  • Psicólogo;
  • Cirurgião.

 

Além disso é necessário manter uma dieta apenas liquida entre 24 há 48 horas antes da cirurgia.

Para os fumantes, é necessário parar de fumar durante no mínimo 30 dias antes de realizar a cirurgia também.

 

Já após a cirurgia é necessário uma série de cuidados também que serão prescritos pelo médico. Entre elas podemos citar:

  • Os primeiros 7 dias são apenas de dieta líquida;
  • É nos primeiros 7 dias que começa a ingestão de suplementos para suprir a falta de nutrientes devido a diminuição na ingestão de alimentos;
  • Esses suplementos podem ser necessários pelo resto da vida devido a diminuição dos alimentos ingeridos e também da capacidade de absorção dos nutrientes pelo estômago e intestino.
  • Depois é passado para uma dieta pastosa que tem duração de até 30 dias;
  • Depois desse prazo e não existindo nenhum tipo de complicação o paciente passa para uma dieta normal.

Portanto se você gostou das informações, compartilhe em suas redes sociais.

Comente esse Artigo